Indicadores Brasileiros para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Fortalecimento da pesquisa populacional pode criar uma África mais equitativa, afirma diretora executiva do UNFPA

imagem

Nesta segunda-feira, 18, foi iniciada a 8ª Conferência Populacional Africana, em Entebbe (Uganda). Sob o tema “Aproveitando as Dinâmicas Populacionais da África para o Desenvolvimento Sustentável: 25 anos após o Cairo e Além”, um dos objetivos do evento é avaliar como a África, 25 anos após a Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD), pode usar sua dinâmica populacional para contribuir com o desenvolvimento sustentável.

Ao longo dos próximos quatro dias, serão discutidos assuntos relevantes para a população africana, como a necessidade de investimentos nacionais, regionais e continentais para enfrentar a rápida urbanização, o crescimento populacional e os desafios em saúde sexual e reprodutiva, tecnologia, juventude, bônus demográfico e capacitação em coleta de dados populacionais.  

Presente na cerimônia de abertura da conferência organizada pela União para Estudos Populacionais Africanos (UAPS, na sigla em inglês), a diretora executiva do Fundo de População da ONU, dra. Natalia Kanem, ressaltou a importância da produção de dados como um componente essencial na dinâmica da população. “Dados estatísticos de alta qualidade ajudam os países a identificar onde as necessidades são maiores e ajudam a acabar com a invisibilidade das pessoas. Esperamos que todas as pessoas sejam contadas e contabilizadas e que ninguém seja deixado para trás”, afirmou.

A diretora acrescentou: "os benefícios do fortalecimento da capacidade na pesquisa populacional podem criar uma África mais justa, mais equitativa, mais pacífica - uma África onde o potencial de cada pessoa seja realizado, estabelecendo uma base sólida para o desenvolvimento social e econômico sustentável".

A mesa de abertura contou também com a participação da ministra da Saúde em Uganda, dra. Jane Ruth Aceng, e do vice-presidente de Uganda, Edward Ssekandi. Para o vice-presidente, o alto crescimento da população jovem da África representa uma grande oportunidade para mercados e expansão das economias. "As riquezas de uma nação residem em seu povo, mas não em suas pedras preciosas", afirma Ssekandi.

O evento prossegue até sexta-feira, 22, e a programação conta com plenárias, sessões científicas, sessões de líderes de pesquisas, reuniões paralelas pré e pós-conferência, sessões de treinamento e exposições.

Para conferir a programação, clique aqui.

 

Do UNFPA Brasil (19/11/2019)